:OS CRIMES SEXUAIS DA HIERARQUIA AHMAD
  Non - Arabic Articles Portugal

: OS CRIMES SEXUAIS DA HIERARQUIA AHMAD
: webmaster

Movimento Anti Ahmadia do Islã

  

Al Hafiz B.A. Masri 

Estrada de Hurst 7

Molesey oriental 

SURREY KT8 9AQ 

Inglaterra 

Para  

Sr. Mirza Tahir Ahmad

Amir Jamaat Ahmadiyya  

Estrada de Gressenhall 16-18

SW18 5QL Londres

Inglaterra  

 

1. Seu secretário Sr. Rashid Ahmad Chaudhry, me enviou uma carta (não datado) por Entrega Registrada desafiando-me em seu nome a aceitar seu desafio de Mubahilla, o mesmo que você ofereceu a seus oponentes da Associação Ahmadia no dia o 10 de junho de 1988. Esta carta, junto com uma cópia de seu desafio chegou a mim em 5 de agosto de 1988.  

 

2. Me dá grande prazer aceitar seu desafio e valer-me desta oportunidade para expor a hipócrita fraude da seita Ahmadia de uma vez por todas.  

 

3. Mubahilla é um tipo de prova de fé na qual dois grupos pedem a Alá para estabelecer a verdade ou falsidade do assunto em discussão.Considerando que Mubahilla é uma questão séria de solenidade extrema, é oportuno que nós estabeleçamos seus artigos diretamente entre nós dois  ao vez de negociar por nossos secretários, assim evitando qualquer possibilidade de ambigüidade ou incerteza no resultado final.  

 

4. Na página 4 de seu desafio, você concedeu a aqueles que aceitarem seu desafio, livre escolha para retirar qualquer cláusula dos artigos você listou. Eu escolho aceitar os artigos que você escreveu em página 2 com estas palavras:

“O segundo aspecto deste Mubahilla diz respeito às totalmente falsas acusações e

a propaganda de enganosa contra a comunidade de Ahmadia.” 

 

5. Já que minhas acusações são sobre assuntos de depravação moral e promiscuidade sexual de uma natureza que geralmente não é própria para ouvidos educados, é preciso ser explicado por que eu sinto justificado e moralmente obrigado a fazer estas acusações imodestas como assunto para isto ' Mubahilla'.

 

6. Normalmente nenhum indivíduo tem o direito de julgar um outro indivíduo. Porém quando uma pessoa assume uma posição de confiança e responsabilidade moral, ele se torna personifica em uma instituição e perde a prerrogativa dele como um indivíduo. Em qualquer sociedade civilizada, Médicos, Professores, Responsáveis por Casas de Indigentes e Orfanatos, e funcionários de todas as tais instituições se tornam abertos à censura moral e ética, além de Lei Estatutária. Um das razões pela qual os charlatões religiosos e impostores permanecem sem se constranger pela exploração de pessoas simples e crédulas é que os Governos de Estados Seculares não se sentem inclinados a interferir em assuntos espirituais. É deixado para a sociedade regular livremente os assuntos de suas respectivas instituições religiosas e estabelecimentos.  

 

7. Minha segunda justificativa é que a Seita Ahmadia começou a violaras normas civis de ética sexual não como indivíduos mas como uma instituição em nome do Islã. Parem de se chamar de muçulmanos, dêem a si próprios qualquer outra designação como uma nova religião e os muçulmanos prazerosamente os deixarão em paz. 

 

 

 

 

 

8. Minhas acusações não são contra a Associação Ahmadia em geral. Há muitos entre eles que acreditam honesta e sinceramente na doutrina Ahmadi, embora erradamente. Nós não reagimos desta maneira contra todas as pessoas de outras religiões, só quando o estilo de vida deles torna-se uma ameaça a estrutura ética de uma sociedade, na qual as pessoas são sufocadas. Se há degenerados neste mundo que estejam dispostos a sacrificar o honra e castidade de suas mulheres e garotos por devoção a seus facínoras religiosos, sorte para eles. Entretanto o ponto primordial surge quando insuspeitas e inocentes vítimas são presas de tais mentiras. Nesta situação você sente-se justificado em gritar do topo dos telhados: Cascavéis.

  

9. É com este senso de responsabilidade moral e solicitude genuína é que eu aceito seu desafio de Mubahilla estabelecendo assim se as acusações seguintes são verdades ou falsas: MINHA REIVINDICAÇÃO QUE ELAS SÃO VERDADES É BASEADA EM CONHECIMENTO PESSOAL ADQUIRIDO DURANTE MINHA VIDA EM QADIAN (ÍNDIA), ONDE EU NASCI E VIVI ATÉ 1937, QUANDO EU DENUNCIEI O QADIANISMO.  

   

O JURAMENTO DE MUBAHILLA

 

10. Você declarará em juramento, nas palavras colocadas, que as declarações abaixo mencionadas feitas por mim são falsas; e eu declararei juramento nas mesmas palavras que eles são verdadeiras:

 

11. " Eu Mirza Tahir Ahmad ( Filho de Mirza Basheer-ud-Din Mahmood Ahmad filho de Mirza Ghulam Ahmad, o Fundador da Associação Ahmadia), o Amir presente da seita de Qadiani da Associação Ahmadia, declaro sob juramento em nome de Alá querelo que eu sei, as declarações abaixo mencionadas por Al-Hafiz B-A Masri, filho do Xeque Abdul Rahman Masri, são falsas e que eu não tenho nenhum conhecimento para efeito que elas são verdadeiras. Eu rezo e peço a Alá que no caso de eu estar perjurando por vontade própria, proferindo falsas evidências enquanto em juramento, eu posso ser amaldiçoado por Alá e posso morrer dentro de um ano da data de tal ato e assino este juramento na presença de seis testemunhas, três das quais serão selecionadas por mim e três serão selecionadas por Al-Hafiz Basheer Ahmad Masri".  

 

Assinado por: seis testemunhas                     Assinado por Mirza Tahir Ahmad. 

 

12. "Eu, Al-Hafiz Basheer Ahmad Masri (filho do Xeque Abdul Rahman Masri), declare em juramento em nome de Alá que as declarações abaixo mencionadas feitas por mim são verdadeiras. Eu declaro ainda em juramento em nome de Alá que Mirza Tahir Ahmad, o Amir presente da seita de Qadiani da Associação Ahmadia sabe que elas são verdadeiras. Eu rezo e peço Alá que no caso de eu estar perjurando por vontade própria que profere esta falsa evidência que enquanto em juramento, eu posso ser amaldiçoado por Alá e posso morrer dentro de um ano da data de tal ato e da assinatura deste juramento na presença de seis testemunha três das quais serão selecionados pelo Mirza Tahir Ahmad ".

 

Assinado por: Seis Testemunhas                     Assinado por Al-Hafiz Basheer Ahmad Masri.  

   

 

OS REQUERIMENTOS DE MUBAHILA

 

13. Eu, Al-Hafiz Basheer Ahmad Masri, apresento esta evidência em juramento em nome de Alá:   

   

· Seu pai, Mirza Basheer ud-din Mahmoud Ahmad (o primogênito dos três filhos de Mirza Ghulam Ahmad que foi o Fundador do Movimento Associação Ahmadia, o Segundo califa da seita de Qadian da Associação Ahmadia era um corrupto, fornicador, adúltero e incestuoso i.e. culpado de habituais relações sexuais até mesmo com mulheres de sua própria família que são declaradas não apenas pela Shari'ah (lei) islâmica mas também por todas as sagradas escrituras como invioláveis (Haram).  

 

· Seu tio paterno, Mirza Basheer Ahmad (o segundo dos três filhos de Mirza Ghulam Ahmad) era um homossexual com uma grande tendência sexual para garotos jovens. 

 

· Seu tio paterno, Mirza Shareef Ahmad (o terceiro dos três filhos de Mirza Ghulam Ahmad) era um homossexual com uma grande tendência por meninos.  

 

· Seu irmão mais velho, Mirza Nasir (filho de Mirza Basheer-ud-Din Mahamoud Ahmad, neto de Mirza Ghulam Ahmad e o terceiro califa) era um fornicador e homossexual. 

 

· Seu tio-avô materno, Mir Muhammad Ishaque (o irmão da esposa de Mirza Ghulam Ahmad) ocupou uma oligarquia e cargo célebre na Associação Ahmadia e foi honrado com o título de Muhaddith, i.e. autoridade em Hadith (Sunnah e Tradição). Ele era um homossexual. Como o homem no comando do orfanato em Qadian, os meninos órfãos estavam à mercê das perversões sexuais dele.

 

14. Eu poderia continuar listando mais nomes de pessoas que ocupavam cargos muito elevados nos Estabelecimentos em Qadian, usando o prestígio e poder a para satisfazer o seus desejos sensuais e pervertidos, livre de censura moral. Porém a verdadeira razão de escrever estes detalhes sórdidos, muito embora seja um assunto obsceno, é para refutar sua afirmação que as acusações são totalmente “falsas” e uma “propaganda mentirosa” contra os “Ahmadis” enquanto que você sabe muito bem que elas são verdadeiras.  

 

15. Como é, eu só limitei a lista das pessoas nas acusações acima para apenas membros da família Mirza para que a questão não fosse confundida e assim deixar qualquer assunto que fosse fora desta Mubahilla. Até mesmo dentro da família de Mirza, eu omiti muitos nomes da segunda e da terceira geração pela mesma razão. A razão principal para que não incluísse mulheres desta família nesta lista está fora de conotação. Embora algumas delas tiveram um papel muito ativo e voluntário nesta abominável fraude, como um todo eu as considero vítimas em lugar ao invés de culpadas. A maioria delas não teve nenhuma escolhida e merecem piedade.  

 

16. A limite do período de Mubahilla em um ano é destinado a alcançar o veredicto definitivo de Alá. Deixando a Mubahilla aberto a generalidades e para um período não especificado como você fez em seu desafio, deixaria o resultado inconclusivo. Porém, eu estou aberto a sugestões para qualquer alteração no espaço de tempo. 

 

17. No caso de você tentar buscar abrigo sob o argumento que não pode responder sob juramento pela conduta moral boa ou ruim dos que estão mortos, eu apontaria que você já concordou em princípio em fazer-lo, na página 8 de seu desafio nestas palavras:  

" Como o Fundador do Movimento Associação Ahmadia não está mais neste mundo e é necessário que haja uma parte para representa-lo, eu e a Associação Ahmadia declaramos de todo nosso coração e sem qualquer dúvida que nós aceitamos este desafio de Mubahilla em nome dele. 

 

18. Se você estiver preparado para aceitar o desafio de Mubahilla em nome de seu falecido avô, não há nenhuma razão terrena para que você não possa aceitar um Mubahilla similar em nome de seu falecido pai, tios e irmão.

 

19. Além disso, o ponto principal pelo qual eu estou aceitando seu desafio de Mubahilla não é que você deva representar seus antepassados mencionados no parágrafo 13. Você está sendo posto sob juramento para responder por si próprio, caso seja ou não de seu conhecimento que seus antepassados citados naquele parágrafo eram moralmente depravados e libertinos sexuais. O razão pela qual tornou-se necessário colocar estas obscenidades em aberto é para provar que você, como o chefe de uma denominação religiosa denominada Ahmadia, saiba que todos estes fatos são verdadeiros e ainda, você está hipocritamente guiando seus seguidores e outros erroneamente e perpetuando a fraude do Qadianismo em nome do Islã.

 

 20. Eu espero que aprecie que, aceitando seu desafio de Mubahilla. Eu estou lhe dando uma chance sem igual de provar de uma vez por todas que minhas acusações são falsas. O que você tem que fazer simplesmente é declarar em juramento, nas palavras prescritas acima no parágrafo 11, que você não tem nenhum conhecimento que minhas acusações acima declaradas no parágrafo 13 são verdadeiras. Eu insisto assertivamente que você sabe sem sombras de dúvida que minhas acusações são verdadeiras, tanto que de minha parte eu estou sem hesitar, preparado para não só apostar minha credibilidade, mas minha vida nisto. Mais do que isto, eu estou preparado para deixar-me aberto à maldição eterna de Alá, no caso de eu estar errado ou proferindo falsidades.

 

 

21. Sr.. Tapir Ahmad! Vamos levar nosso caso ao Tribunal de Alá (Deus), o Juiz Supremo do Universo e deixar-lo decidir.

   

Assinado:B.A. Masri  

Al-Hafiz Basheer Ahmad Masri.  

 

 

P.S.

Já que existem milhões de muçulmanos que não conhecem Urdu, eu lhe pediria que fizesse toda a sua correspondência sobre este assunto em inglês, para que depois possa ser traduzido em Urde, árabe e outros idiomas. B.A. MASRI.  

   

ATRAVÉS DE POSTE REGISTRADO  

Para  

Sr. Mirza Tahir Ahmad 

Amir Jama'at Ahmadiyya  

16-18 Estrada de Gressenhall  

Londres SW18 5QL  

Inglaterra.  

   

UMA LEMBRANÇA  

É notável que você negligenciou em responder a minha carta, aceitando seu desafio de Mubahilla. Esta foi enviada a você através de serviço  registrado no dia 18 de agosto de 1988, e dois meses depois ainda não há nenhuma resposta sua.

 

No caso de eu não receber uma resposta sua dentro de duas semanas, eu terei que fazer público a todos os muçulmanos do mundo que seu desafio de Mubahilla era nada além de um jogo barato e um truque os quais você e suas pessoas tornaram-se adeptos.

 

Eu gostaria de esclarecer este ponto, até que o juramento de Mubahilla seja pronunciado e o Julgamento de Alá invocado solenemente por ambas as partes, o Mubahilla não entra em vigor.  

 

Eu quero lhe pedir, em seu próprio interesse, para não tentar me matar, como faziam seus antecessores quando encurralados em circunstâncias semelhantes. Caso contrário às conseqüências para você e seu lacaios seria extremamente desastrosa.Todos os muçulmanos do mundo sabem que tipo de pessoas vocês são. Eles estão ficando cansados de sua fraude Qadiani em nome do Islã e não estão preparados para tolerar isto por muito mais tempo.  

Eu ainda estou esperando que você me diga quando e como gostaria que nós dois façamos o juramento de Mubahilla.  

Assinado: Al Hafiz Basheer Ahmad Masri.  

 

:   admin       (   )
: 0 /5 ( 0 )

: 26-11-2009

: 520